A transitoriedade do mundo faz com que as pessoas busquem novos caminhos e sejam os protagonistas de suas vidas. Essa perspectiva foi discutida na palestra sobre “Pessoas e organizações: outro contrato social?”, ministrada pelo presidente da Federação Mundial de Associações de Recursos Humanos, Jorge Jauregui.